O ERRO DE QUERER AGRADAR O MUNDO

TALVEZ VOCÊ CHAME DE ERRO, TALVEZ NÃO VEJA NENHUM PROBLEMA EM AGRADAR A TODOS, MAS O FACTO É QUE ATÉ AOS MEUS 39 ANOS (NESTE MOMENTO), NUNCA CONHECI UM SER HUMANO QUE TENHA CONSEGUIDO AGRADAR A TODOS.

Iniciando este artigo, “já” com a intenção de não agradar a todos que o lerem, afirmo que muitas vezes fui herói e bandido para a mesma pessoa e não necessariamente sempre na mesma ordem, mas fui, sou e serei.

Mas sendo verdadeiro com meus leitores, confesso que muitas e muitas vezes fiz parte deste ciclo vicioso de querer agradar a todos, esperando no final receber o troféu “Melhor Amigo do Ano” ou “melhor qualquer coisa do século”. Tudo que recebi foram alguns que se diziam amigos, se tornarem “não-amigos”. Não gosto muito da palavra inimigo, pois acho mesmo que um inimigo é uma daquelas pessoas que te odeia declaradamente ou te ama e adoraria ser você. Enfim, para mim os “não-amigos” são aqueles que se declaram como tal e que com todas as forças fazem coisas para te derrubar, prejudicar e ver o seu mal.

E é tão forte imaginarmos que podemos ter um “inimigo” né? Apesar de eu saber que os tenho e me sentir mal por eles existirem na minha vida, tudo o que sempre fiz foi devolver o que eles fazem, que é N.A.D.A. Nada com todas as letras e pronunciadas pausadamente para que a compreensão seja bem clara e bem objetiva rsss…

Mas o foco aqui não é falar de inimigos e sim de quando deixamos de agradar algumas pessoas e num estalar de dedos passamos de heróis a bandidos ou de heróis a simples mortais (Que sempre fomos), mas eramos vistos com capa e alguns poderes especiais. Rs

Isso acontece muito, quando um casal se separa por exemplo.

Durante uma vida trocaram elogios e compreenderam erros que na ocasião, nem chamavam de erros, mas de maneiras diferentes de não fazer algo. Quando um caía o outro estava ali para levantá-lo e tudo era crescimento, desafio e amor. Depois da separação, uma das partes (Quando, não as duas), falam que eram casados com um demónio e usam frases do tipo: “Nem imagina o que eu passei nestes 22 anos” ou “Sofri o pão que o diabo amassou em 30 anos”. Nem sei quantas vezes ouvi isso em consultório e talvez em minhas separações também devo ter dito algo parecido.

E você pode pensar “E porque disse, Eric?” Porque sou como você que está lendo este texto ou porque naquele momento da separação, não possuía recursos internos suficientes para lidar com aquela situação, sei lá!
O erro em querer agradar o mundo é que vai ser uma tarefa desafiadora e talvez morra e não consiga realizá-la. Pode achar estranho e sentir falta das minhas palavras motivadoras neste artigo, mas a motivação a ser transmitida aqui é “relaxe…”

Em algum momento de sua vida, vai perder um amigo ou amiga, talvez um sócio, um companheiro ou companheira e quem sabe alguém que te admirava em uma rede social vai desaparecer da noite para o dia e te bloquear. Lá no futuro alguém vai dizer que estão falando de você e tudo bem, pois não importa o que os motivam a ter tal atitude, o que importa é que vão fazer e pronto!

E já atendi pessoas que em lágrimas, me diziam: “Mas ela é a minha Irmã” e aprendi a não ficar espantado com nenhuma queixa ou declaração vinda de um cliente, pelo simples facto de compreender que jamais vamos conseguir agradar a todos.

Pode dar presentes caros ou lindos sorrisos todas as manhãs que alguém vai dizer que está “tentando comprar” sua confiança ou irá dizer que seu “falso” sorriso pode convencer muitos, mas não a mim que sei que…. (Rindo alto ao escrever isso, pois me lembro de cenas que já aconteceram em minha vida).

Cenas estas que fazem parte da minha evolução de pessoas que beijava no rosto, chamava de amigo e hoje nem nos falamos mais. Nem é pela distância ou porque nossos caminhos se separaram, mas porque em algum momento se instalou a discórdia, pelo simples facto de não fazer mais “EXATAMENTE” o que ele gostaria, da maneira que ele gostaria.

Minha contribuição neste artigo?

Seja você! 100% você! Inteiramente você! Apenas você! E um dia arrancará sorrisos de uns e lágrimas de outros, um dia vão te elogiar e outro criticar, mas está tudo certo, pois as pessoas têm todo o direito de expor suas mais profundas opiniões, mas estão fazendo para uma pessoa autêntica, verdadeira, que não precisa se vestir com a fantasia que vai agradar, pode colocar qualquer roupa de qualquer maneira, sendo ela mesma em tempo integral.

E ao agir desta maneira, vai logo perceber que está livre… Livre para ser, para sentir, para mergulhar neste delicioso processo que é a evolução e aqui vale lembrar que estamos falando da sua evolução e não da evolução que outra pessoa gostaria que você tivesse.

Liberte-se imediatamente de todas as amarras que prendem você a um sistema que dita regras e impõe situações que farão de ti escravo de palavras, gestos e movimentos que têm por obrigação quase que unânime “agradar” seja quem for.

Despeço-me desejando que seja você a partir deste segundo e se gosta do que escrevo e da maneira como eu escrevo, deixe seus sinceros comentários abaixo deste artigo!

Nos vemos em breve!